Ilustração: Frédérique Vayssières

Biblioteca da Escola Básica e Secundária, Valença

Português

Glossário

Exímia

Que revela grande perfeição

Fulcral

Ponto central ou principal

Legado

Herança; conjunto de valores culturais transmitidos pelas gerações anteriores

Maturação

Desenvolvimento de um indivíduo até atingir a idade adulta; evolução do pensamento, talentos ou capacidades de uma pessoa para um grau mais elevado

Multifacetada

Que tem diversas particularidades, facetas, aspetos

Polifonia

Multiplicidade de sons

Subversivas

Que destroem ou alteram a ordem estabelecida; que podem pôr em causa os valores vigentes

 

# Quiz José Saramago

José Saramago, o Nobel

«Saramago, que por vezes parece duro e inabordável, encerrado em si mesmo, é uma personagem terna e vulnerável, de quem a sua mulher afirma que "escreve para se fazer amar"».

- Juan Arias, El Pais, 09/10/98

Fonte: www.sergeicartoons.comJosé Saramago nasceu na Azinhaga, concelho da Golegã, a 16 de novembro de 1922. Faleceu, na sua casa de Lanzarote, nas Canárias, no dia 18 de junho de 2010, aos 87 anos. Vivia com a mulher, Pílar del Río, jornalista espanhola.

Em Portugal, foram decretados dois dias de luto nacional. Antes de o corpo ser cremado, discursaram várias individualidades. Registaram-se manifestações de carinho e de última homenagem.

Os meios de comunicação social de todos os cantos do mundo deram grande importância à morte do Nobel português, e também de toda a parte chegaram à família inúmeras outras manifestações de pesar e admiração, desde leitores anónimos a chefes de Estado e Governo. Entretanto, foi anunciado que as cinzas do escritor ficavam em Lisboa.

Na sua terra natal, na Azinhaga do Ribatejo, confrontamo-nos com um banco e a inscrição «Mas não subiu para as estrelas, se à terra pertencia», final do romance Memorial do Convento.

Em Lisboa, Saramago frequentou o ensino secundário. O romance Levantado do Chão serviria de metáfora para o processo de maturação pessoal. O escritor necessitou de uma grande força interior para atingir o topo.

Galardoado, em 1998, com o Nobel da Literatura, foi serralheiro mecânico, desenhador e também diretor literário da editora Estúdios Cor. Em seguida, dedicou-se ao jornalismo, tendo trabalhado em vários jornais, entre eles o Diário de Notícias, do qual foi diretor.

Na sua vida, no seu legado, deparamo-nos com o homem moderno, verdadeiro conhecedor dos meandros do interior humano. A sua obra é exímia em tensões, angústias, dúvidas, viagens, desejos de intervenção social e de autoconhecimento. Além disso, o segredo do mundo, com a sua magia, o sobrenatural, a luta por um mundo melhor e mais livre são uma constante da sua obra.

A escrita de Saramago é uma descoberta intensiva das suas possibilidades, com as suas características inovadoras, subversivas, enfim, uma polifonia discursiva.

A vida e a obra de José Saramago são um marco fulcral na história da humanidade. Com a sua cultura e sentido de justiça, tornou-se num defensor dos direitos humanos, dotado de uma sensibilidade particular.

Saramago foi honoris causa por diversas universidades e recebeu vários prémios. É um dos autores portugueses mais lidos e traduzidos no estrangeiro.

Fonte: Jornal de Letras, Artes e Ideias