Ilustração: Frédérique Vayssières

Biblioteca da Escola Básica e Secundária

TIC

Glossário

Fred Cohen

Perito informático norte-americano responsável pela invenção dos vírus como técnicas de defesa. Em 1983, quando era ainda estudante universitário, criou um programa para uma aplicação parasita que controlava as operações do computador. Em 1987, demonstrou que não é possível criar um algoritmo capaz de detetar todos os vírus possíveis.

Vírus informáticos

Todos temos ouvido falar dos vírus informáticos

e dos problemas que causam nos nossos computadores.

Mas... conhecemos a sua origem?

Em abril de 1983, a empresa DEC utilizou um sistema de proteção para o seu processador de textos que, no caso de alguém realizar uma cópia ilegal, apagava os arquivos do disco duro. Nesse ano, o programador Kenneth Thompson mostrou a forma de criar os vírus e Fred Cohen definiu os modos de os desenvolver enquanto os qualificava de «ameaças para a segurança nacional». Em 1985 soube-se da existência de um vírus que, ao ser executado, eliminava os arquivos de disco enquanto aparecia uma mensagem final que dizia: «Caíste!». Muitos vírus tornaram-se famosos: «Sexta-feira 13», que apareceu na Universidade de Jerusalém em 1987; «Natal», sob a forma de felicitação natalícia; «Miguel Ângelo», o vírus que atacou milhares de computadores em 1992... A expansão da internet facilitou a propagação de novos tipos de vírus. Outros vírus famosos foram «I love you», «Barrote» e «Blaster». A partir de 2004, os vírus começaram também a invadir os PDA e os telemóveis.

Porque é que a palavra «vírus» adquiriu o significado de problema informático?

Até 1949 um vírus era um microrganismo biológico que tinha a capacidade de se reproduzir invadindo células vivas e provocando doenças infeciosas. No início da  década de 1980, começou a chamar-se «vírus» aos programas informáticos destrutivos por comparação com os vírus na sua forma de reprodução e capacidade de destruição.

NESSMANN, Philippe; CHOUX, Nathalie - Todas as respostas às perguntas que nunca te fizeste. Kalandraka, 2009.