Biblioteca da Escola Básica e Secundária

Economia

Glossário

Desenvolvimento sustentável

A expressão designa uma forma de desenvolvimento capaz de responder às necessidades do presente sem prejuízo das gerações vindouras. Nesse sentido, o desenvolvimento sustentável tem como objectivo a melhoria das condições de vida dos indivíduos preser-vando, simultaneamente, o meio envolvente a curto, médio e longo prazo.

Equitativa

Reta, justa.

Eurostat

Serviço de estatística da UE.

Índice Gini

Indicador mais utilizado para medir a desigualdade da distribuição de rendimento.

O que eu preciso de saber sobre... Desigualdades

As desigualdades sociais e, em particular, as desigualdades na distribuição de rendimento, têm atualmente um impacto significativo na forma de funcionar das sociedades, com efeitos na eficiência do sistema económico, na justiça social e na possibilidade de um desenvolvimento sustentável.

Está demonstrado que, mesmo entre as sociedades mais desenvolvidas, é naquelas com maiores desigualdades económicas que se evidenciam os maiores problemas socioeconómicos, quer em termos de crescimento económico, de indicadores sociais — educação, saúde, etc. — quer na participação cívica na sociedade.

Há autores que sugerem que as sociedades mais desiguais revelam piores indicadores sociais, como taxas de mortalidade superiores ou esperança de vida à nascença mais reduzidas. Países com uma distribuição de rendimento mais equitativa estão associados a melhores indicadores sociais, a maiores níveis de crescimento económico e a uma maior inclusão social e política.

As desigualdades socioeconómicas cresceram significativamente no mundo e na Europa desde os anos setenta. O índice Gini permite evidenciar esse crescimento da desigualdade em vários países desenvolvidos. Este índice varia entre 0 — se todos os indivíduos tivessem igual rendimento, — e 1 — se um único indivíduo detivesse todo o rendimento da sociedade. Por exemplo, entre os anos 70 do século XX e a primeira década deste século, a desigualdade passou de 0,32 para 0,38 nos Estados Unidos; de 0,28 para 0,34 no Reino Unido; ou de 0,21 para 0,23 na Suécia.

O crescimento das desigualdades pode estar associado a um maior crescimento dos rendimentos dos indivíduos mais ricos, a uma deterioração do rendimento dos mais pobres ou à conjugação de ambos os fatores. Estas possíveis explicações justificam um dos pontos de vista mais controversos sobre a desigualdade: não importa que as desigualdades aumentem se os pobres não ficarem mais pobres. Este é, no entanto, um argumento contrariado pela realidade. As sociedades mais desiguais são também aquelas que evidenciam maiores níveis de pobreza. Na União Europeia, na década passada, era indiscutível a fortíssima associação entre níveis de desigualdade e níveis de pobreza.

PORTUGAL: UM PAÍS DESIGUAL. De acordo com os dados mais recentes do Eurostat, Portugal é um dos países europeus com maiores níveis de desigualdade económica, independentemente do indicador estatístico utilizado. Em 2009, Portugal apresentava um índice de desigualdade de 0,337, quando a média da UE era de 0,305. Na sociedade portuguesa, os 5% mais ricos da população têm cerca de 15 vezes mais rendimentos do que os 5% mais pobres; o rendimento dos 20% de indivíduos de maiores rendimentos é cerca de seis vezes superior ao detido pelos 20% de menores rendimentos.

RODRIGUES, Carlos Farinha - Desigualdades. Visão. N.º 977 (2011), p. 35.

Desigualdades sociais. Fundação Francisco Manuel dos Santos, 2011.