Biblioteca da Escola Básica e Secundária

Economia

Glossário

Campus

Local onde uma instituição ou conjunto de instituições, de ensino ou de investigação científica ou tecnológica, tem uma parte ou a totalidade dos seus serviços, nomeadamente salas de aula e laboratórios.

CEO

Presidente executivo.

HSBC

Banco internacional com sede em Londres. Fundado em 1865, o HSBC é a maior organização de serviços financeiros e bancários do mundo. A rede internacional do grupo é composta por aproximadamente 9500 escritórios e agências em 83 países e territórios na Europa, Ásia, América, Oceânia, Oriente Médio e África.

Nerds

Alunos com excelentes resultados académicos, mas sem grandes capacidades de socialização.

As escolas que dão emprego

Uma é estatal, a outra não. Conhece as duas faculdades portuguesas mais cotadas nos rankings internacionais, onde os alunos são contratados antes mesmo de acabarem os cursos.

Diogo foi ginasta, modelo, campeão nacional de dança hip hop, ator... e entrou na Nova School of Business and Economics com média de 19. Agora, é analista do HSBC, um dos maiores bancos de investimentos do mundo.

Diogo está em Londres, na sede do banco. Assinou contrato ainda antes de terminar o mestrado em Finanças. Depois, fez uma grande viagem de dois meses pelo sudeste asiático, de mochila às costas, antes de começar a trabalhar. Agora está na área das fusões e aquisições. Presta serviços de aconselhamento a empresas que queiram comprar outras, vender, ir ao mercado, fazer reforços de capital, internacionalizar-se em novos países, etc.

Nem todos conseguem entrar nos mestrados da Nova School of Business and Economics (antiga Faculdade de Economia) ou da Católica Lisbon School of Business and Economics (antiga Faculdade de Ciências Económicas e Empresariais). Ambas aparecem nos prestigiados rankings do Financial Times. Figuram entre as melhores faculdades europeias, destacam-se nos mestrados de Finanças e de Gestão e aparecem no top 10 mundial das escolas com maior empregabilidade (a Católica em 4.º lugar e a Nova em décimo).

As empresas frequentam, amiúde, os campus de ambas, à procura de talentos para contratar. Estas faculdades têm gabinetes de saídas profissionais muito ativos (quantos mais ex-alunos estiverem empregados, maior é a subida nos rankings internacionais) e professores que ajudam os estudantes a entrar no mercado de trabalho através da sua rede de contactos.

Todos os recém-formados da Católica Lisbon encontram emprego nos três meses seguintes: o seu nível de empregabilidade é de 100 por cento. O da Nova é de 96% e 40% dos alunos que se formaram em 2010 fizeram as malas rumo a uma carreira internacional. Qual é o segredo por detrás destes números?

Antes de tudo, é preciso falar das aulas em inglês. Elas começam a ser introduzidas gradualmente logo no primeiro ano da licenciatura e são decisivas não só para os alunos que seguem uma carreira internacional, como para os que ficam em Portugal. Além disso, atraem para estas faculdades estudantes de outros países e facilitam o trabalho aos professores estrangeiros. Depois, tanto a Nova como a Católica são muito criteriosas na seleção dos alunos que admitem nos mestrados. Um dos fatores a ter em conta é o prestígio da instituição onde foi tirada a licenciatura. Estas faculdades competem pelos melhores e estes não são apenas os campeões das notas.

As empresas muitas vezes evitam os alunos de 18, receando o estereótipo do «marrão». As atividades extraescolares são muito importantes. Estão a formar-se líderes, quer venham a ser CEO ou chefes de equipas ou de departamentos. É preciso que saibam comunicar, argumentar as suas ideias e transmitir confiança.

É o declínio dos nerds. Tal como na Católica, na Nova são valorizadas atividades como o voluntariado em organizações não governamentais, ou o desporto. É um pouco à americana, com a diferença de que, em Portugal, não existe uma competição em desporto universitário que se aproxime sequer do que se vê nos Estados Unidos. No entanto... «A prática de desporto mostra-nos que o aluno tem outros interesses além dos estudos, tem capacidade de resistência, sabe gerir o seu tempo, tem vontade de vencer e tem prática no trabalho em equipa», explica a diretora da Católica Lisbon.

Hoje em dia, para os empregadores, não é suficiente ter boas notas. No mestrado de Finanças da Nova, todos os anos se inscreve o dobro dos candidatos em relação ao número de vagas. A crise não passa por aqui.

CORREIA, Alexandra - As escolas que dão emprego. Visão. N.º 998 (2012)